Polêmica experiência pastoral entre as forças de segurança

UFP
Imagem da promoção do programa UFP.

Um vídeo institucional da Universal nas Forças Policiais (UFP), ministério da igreja do pastor Edir Macedo, criado especificamente para as "Forças de Segurança Pública, Forças Armadas e órgãos governamentais" - não apenas no Brasil, mas também em países africanos como Angola - Ele disse que alcançou 983.441 policiais e familiares em 2019, ofereceu 73.526 conferências, eventos e cafés; e doou 439.471 "Bíblias e literatura".

Com a chegada de Jair Messias Bolsonaro à Presidência do Brasil, desenvolveu-se o programa específico para homens uniformizados que poderiam se interessar pelo culto neopentecostal, e também começou uma controvérsia sobre as implicações do vínculo Igreja e Estado que, por muito tempo, tenta estabelecer o Pastor Macedo, de acordo com muitos dos que observam o que está acontecendo.

O evangelho temático proposto pela UFP provoca, por um lado, uma discussão ideológica. Por exemplo, o Partido dos Dois Trabalhadores, hoje na oposição, mas que, quando governou, mostrou simpatia por Macedo pela quantidade de votos que poderia dar a ele, afirma que a Igreja Universal está criando um exército específico com o recrutamento da Polícia Militar.

Há outra discussão entre religiosos:

  • Os membros das forças de segurança não são as mesmas pessoas que os outros crentes?
  • Por que abordá-los de maneira tão específica e institucional?
  • Não é óbvio que existe outro objetivo, que nada tem a ver com assistência espiritual?

Por outro lado, os líderes da Igreja Universal sustentam que eles estão ocupando um espaço vazio e que muitos membros das Forças de Segurança do país precisam de uma assistência moral, espiritual, ética e social que ninguém faz e que afeta o seu trabalho diário. Portanto, eles argumentam que sua tarefa tem benefícios óbvios para a sociedade como um todo.

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) é uma organização religiosa neopentecostal que surgiu da congregação fundada em 09/09/1977 por Edir Macedo no Rio de Janeiro, Brasil.

A organização já usou outros nomes em vários países da América Latina: Cruzada do Caminho Eterno, Forte Oração ao Espírito Santo, Graça Universal, etc.

A IURD também é conhecida pelo nome de seu programa de televisão "Stop Suffering".

Antes de fundar a Igreja Universal, Edir Macedo trabalhou como caixa da Loteria Nacional. Em uma ocasião, quatro membros da igreja Evangélica Nova Vida, entre os quais o cunhado, manifestaram insatisfação com o culto a que compareceram e fundaram um ministério chamado "Igreja da Graça", no qual Edir Macedo foi convidado a Participe como tesoureiro.

Macedo entrou, participou e depois criou a Cruzada do Caminho Eterno, mais tarde Igreja Universal do Reino de Deus.

Sem as condições econômicas necessárias para alugar um local, as primeiras reuniões foram realizadas em um anfiteatro público, ao ar livre, no bairro de Meier, no Rio. Então, as cerimônias começaram a ser populares, com a assistência de muitas pessoas e, com as ofertas coletadas, o Pastor Macedo começou a alugar instalações, começando, por exemplo, com uma antiga funerária, no bairro de Abolição, na região norte de Rio de Janeiro.

O próximo passo foi que o IURD cresceu rapidamente.

Macedo conseguiu, usando como ferramentas as mídias sociais - televisão, rádio, livros, jornais, revistas e filmes - uma instalação massiva da IURD.

O maior local de congregação da IURD fica no Rio, sede mundial da Igreja, e é chamado de "Templo da Glória do Povo de Israel".

Mais tarde, a IURD se expandiu para fora do Brasil, começando pelos EUA; e com presença notável nos países africanos de língua portuguesa. Também na América Latina.

Policiais

Os responsáveis ​​pelo ministério da UFP interessaram às autoridades para fortalecer seu trabalho. Por exemplo, o pastor Francisco de Assis dos Santos, responsável pelo trabalho em Brasília; pastor Elton Mangueira, responsável pela UFP no estado de Goiás; o vice-pastor federal Júlio César Ribeiro; e o deputado do Distrito Federal, Martins Machado, se reuniu com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Os pastores Francisco de Assis dos Santos e Elton Mangueira, vice-pastor federal Júlio César Ribeiro; e deputado do Distrito Federal, Martins Machado, com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Na ocasião, o ministro recebeu uma cópia da Bíblia Sagrada com os comentários do bispo Edir Macedo e endossou a tarefa da UFP, que já ultrapassou os 6.000 participantes.

As imagens em vídeos que circulam, por exemplo, na página do Facebook, mostram policiais em ação, depois colaboradores de Macedo e um texto que afirma: “As autoridades brasileiras à mercê dos perigos da profissão e dos problemas sociais e emocional. Essa é a rotina difícil que pode levar muitos à depressão, ao desejo de suicídio, ansiedade, medo e muitos outros males. Pensando nisso, a UFP foi criada, Universal nas Forças Policiais.”

O programa criado por Macedo, que observou a possibilidade de expansão naquele espaço específico, alcança oficiais da Polícia Militar de todos os estados do Brasil e países da África, com o objetivo de "prestar assistência de melhoria espiritual, social e humana, não apenas para os defensores da lei, mas também para suas famílias por meio de conferências sobre temas como corrupção, ética, drogas, estrutura familiar, casamento, educação infantil, doações de livros e Bíblias, lazer, reuniões com café da manhã gratuito e o principal: liderança pela fé em Deus, que encoraja, dá liberdade e força a tantos profissionais.”

O jornalista Plinio Teodoro escreveu na revista Forum:

"Na página do Facebook, que já conta com mais de 12.000 seguidores, entre as ações do programa com membros de comandos policiais nos estados brasileiros e nos países africanos, são mostrados vídeos de Jair Bolsonaro elogiando o bispo Edir Macedo e também recebendo bênçãos no templo da Igreja Universal, disponibilizado aos policiais".

Uma experiência altamente comentada e emblemática ocorreu há cinco meses. Todo 25/08 celebra o Dia do Soldado no Brasil. Para homenagear aqueles que trabalham com segurança pública, a Igreja Universal, em todo o país, promoveu um "Tributo às Forças Armadas e Forças Policiais".

Representantes da Marinha, Força Aérea, Exército, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Civil Metropolitana de São Paulo estiveram presentes no Templo de São Paulo.

A polícia compareceu ao serviço das 9h30, oferecido pelo bispo Renato Cardoso. Durante a reunião, o bispo enfatizou a importância de obedecer a Deus, colocando-o no início de todas as decisões e buscando, primeiro, seu Reino.

“A fé cresce obedecendo à Palavra de Deus. Se você não faz o que a Palavra diz, não acredita. A razão pela qual as pessoas sofrem é porque elas desobedecem a Deus. De fato, temos muitos policiais e membros das Forças Armadas aqui e eles, mais do que ninguém, sabem a importância da obediência”, afirmou Cardoso.

Ele esclareceu que a desobediência à Palavra de Deus impede as pessoas de alcançarem o que querem. "Portanto, as pessoas não têm a vida que desejam tanto, não porque Deus não deseja abençoá-las ou porque são pecadoras, mas porque estão vinculadas por sua decisão de obedecê-lo", reiterou.

Após a conferência, o bispo Cardoso fez uma oração especial pelos oficiais de segurança presentes no templo.

O apoio do governo brasileiro e as forças que apóiam Bolsonaro à iniciativa são evidentes porque o ajudam a reorientar do ponto de vista espiritual valores em crise entre os membros da força de segurança. Também concede uma ética religiosa à luta contra o crime.

A Igreja Universal também oferece benefícios óbvios, especialmente em termos de crescimento e influência em uma grande área da sociedade.

Mas o debate é inevitável do ponto de vista eclesiástico e também por causa do compromisso com ações que inclui o risco de matar outras pessoas.

O coronel Marcelo Vieira Salles, comandante geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, estava entre os presentes e disse estar surpreso com a homenagem: “A sensação que tivemos foi bem-vinda. A Polícia Militar e a Igreja Universal têm papéis muito semelhantes de acolher as pessoas e, principalmente, ajudá-las. É uma grande honra para a Polícia Militar do Estado de São Paulo estar aqui.”

Vieira Salles também enfatizou a importância da proteção de Deus: "Quando nossa polícia está nas ruas, servindo as pessoas, indo a lugares que ninguém quer ir, enfrentando perigos, a proteção é sempre importante e presente".

Para o deputado estadual Altair Moraes (PRB), que faz parte da Comissão de Segurança Pública, no Congresso, é essencial que os policiais recebam atenção e apoio. "Temos que ver os dois extremos: aqueles que estão à margem, mas também a polícia que faz um trabalho sério".

Ele acredita que policiais bem treinados e apoiados em todas as suas necessidades têm um efeito positivo na população. “Eles passam por coisas às quais não estamos acostumados. Soldados equilibrados emocional, psicológica e espiritualmente fornecem mais segurança à sociedade”, afirmou.

Macedo
O filme "Nada a Perder", a cinebiografia de Edp Macedo, está disponível na Netflix, o bispo fundador da "Igreja Universal do Reino de Deus" e proprietário de TV Record, do Brasil, entre outros ativos.

O representante (deputado) Paul Wellington Moura (PRB), por sua vez, afirmou que o Estado de São Paulo só pode vencer se houver policiais bem treinados. “Eles experimentam momentos de pressão com a população, com a imprensa e em várias situações que afetam nosso Estado. É por isso que é importante ter policiais treinados, não apenas fisicamente, mas espiritualmente.”

Segundo o pastor Roni Negreiros, coordenador do grupo Universal das Forças Policiais (UFP), que também é o capelão principal da Polícia Militar do Estado do Maranhão, os prêmios e a consagração dos soldados são fundamentais para suas vidas. “Os prêmios são do povo da Igreja Universal, como uma sociedade civil, reconhecendo seu valor. E consagração é quando bispos, pastores e membros apresentam suas vidas a Deus e isso é inestimável.”

Segundo o pastor, a fé é fundamental na vida do soldado para o serviço de segurança pública, porque somente pela fé ele pode se proteger durante suas atividades. “O pior pecado para os seres humanos é tornar-se auto-suficiente, porque mesmo os homens mais treinados para a guerra policial ou a própria guerra não podem se proteger. Um policial pode estar andando na rua, entregue e morrendo por nada, mas se a fé e o poder de Deus estiverem com ele, ele estará protegido.”

Todas as semanas são realizadas conferências preventivas sobre corrupção, ética, drogas, estrutura familiar, casamento e educação das crianças em prédios administrativos, quartéis, batalhões, delegacias e prisões. Cultos e assistência pastoral também são promovidos.

  • Construção de uma teocracia?
  • Ocupação religiosa de um espaço de estado influente?
  • Interesse genuíno em apoiar espiritualmente a repressão ao crime?
  • Procura um efeito multiplicador através do impacto nas famílias dos uniformizados?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.