sábado 31 outubro, 2020
Home Saudável Mais legumes por favor
ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA

Mais legumes por favor

O registro bíblico mostra que Daniel os comeu para não ficar contaminado. E hoje seus múltiplos benefícios foram comprovados: fonte de proteínas, fibras, carboidratos, vitaminas, entre outros. Eles podem ter valores mais altos de proteína do que a carne, embora sejam extremamente baratos e saudáveis.

Por que comê-los?

Daniel se alimentou de legumes para não "se contaminar" com outros alimentos que não nutriam seu corpo e mente. Da mesma forma, séculos depois, eles se tornaram componentes essenciais de vegan, vegetariano e todos os tipos de alimentos.

A FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) os define como “um tipo de leguminosas que são colhidas apenas para obter sementes secas. Feijões secos, lentilhas e ervilhas são os tipos mais conhecidos e consumidos de leguminosas.”

O que distingue uma leguminosa das outras classificações é que elas são secas e não são colhidas sementes para serem consumidas frescas, mas nesse caso elas seriam categorizadas como vegetais.

Recomenda-se o consumo de 250 g por dia, dadas as múltiplas razões para pregá-las. Alguns dos mais significativos são sua grande contribuição em proteínas, fibras e carboidratos de boa qualidade.

Nesse sentido, 2016 foi declarado pela FAO o ano das leguminosas, devido à sua aptidão como garante da segurança alimentar. Além disso, destaca-se que suas culturas respeitam a agroecologia, uma vez que essas plantas "fixam nitrogênio atmosférico no solo naturalmente e, em alguns casos, liberam fósforo, reduzindo significativamente a necessidade de fertilizantes sintéticos".

Apesar das longas informações disponíveis sobre as vantagens oferecidas por esses alimentos, o “Guia Alimentar para a População Argentina de 2019” estima que seu consumo ainda seja muito baixo à mesa dos argentinos.

Embora, de acordo com dados do Senasa, a Argentina seja um exportador significativo de leguminosas, especialmente o feijão Alubia, com destinos como Brasil, Espanha, Paquistão e Itália.

História e futuro

Além do registro bíblico, são conhecidas indicações do consumo de legumes em culturas antigas da humanidade, como Roma e Grécia.

Mas na América Latina eles têm um papel muito mais importante, pois acredita-se, por exemplo, que há mais de 5.000 anos atrás o feijão é incorporado às civilizações mexicana e peruana.

Foi mesmo após a invasão européia das Américas que marcou um hito na inclusão desses alimentos nas dietas dos habitantes do Velho Continente.

No entanto, sua origem e tradição variam consideravelmente, dependendo do tipo de leguminosa em questão. Hoje também acontece que as preferências por uma ou outra mudam entre culturas.

Atualmente, os modos de vida e os hábitos alimentares têm levado muitas populações a preferir produtos processados ​​e industrializados a produtos tradicionais e básicos. Por esse motivo, atualmente busca-se reivindicar seu cultivo e consumo.

As plantações dessas espécies têm grande valor ecológico e promissor para o futuro, porque:

  • Para o seu crescimento não requerem grandes quantidades de água
  • Eles preservam e perpetuam as tradições que as cultivam há milhares de anos, promovendo a agroecologia sustentável.
  • Como eles têm a capacidade de fixar seu próprio nitrogênio no solo, precisam de menos fertilizante, cuidando da diversidade da terra.

Por que Daniel comeu legumes?

No livro bíblico de Daniel, é demonstrada a estreita relação entre alimentação saudável, intelecto, sabedoria e comunhão com Deus.

Daniel, porém, decidiu não se contaminar com a comida e o vinho que o rei lhes tinha dado. Pediu permissão ao chefe dos oficiais para não comer esses alimentos, a fim de não se contaminar.
Deus havia feito que o chefe dos oficiais mostrasse compaixão e simpatia a Daniel.
Apesar disso, Aspenaz disse: “Tenho medo de meu senhor, o rei. Ele determinou o alimento que vocês devem comer e o vinho que devem beber. Se ficarem com a aparência abatida em comparação com os outros rapazes de sua idade, temo que o rei mande cortar minha cabeça”.
Daniel falou com o assistente designado pelo chefe dos oficiais para cuidar dele, de Hananias, Misael e Azarias. “Faça uma experiência conosco durante dez dias”, disse. “Dê-nos apenas legumes para comer e água para beber.
Terminados os dez dias, compare nossa aparência com a dos outros rapazes que comem a comida do rei. Depois, decida de acordo com o que você vir.”

O assistente concordou com a sugestão e fez a experiência com eles durante dez dias.
Passados os dez dias, Daniel e seu três amigos pareciam mais saudáveis e bem nutridos que os outros rapazes que se alimentavam da comida do rei.

DANIEL 1:8-15

Benefícios

Além das evidências bíblicas, a ciência demonstrou os múltiplos benefícios da incorporação de leguminosas na dieta, incluindo a reposição de carne.

Alguns deles são:

  • Eles têm proteínas de alta qualidade. Muitas vezes, eles são comparados com a ingestão de proteínas da carne, pois, por exemplo, 100 g de lentilhas secas têm 23 g de proteína e filé mignon com menos de 20 g.
  • A fibra que ele contém fornece várias funções no corpo, como favorecer o sistema digestivo.
  • Eles fornecem baixo índice glicêmico porque seus carboidratos são complexos e liberam energia progressivamente. Também evita aumentos rápidos no açúcar no sangue.
  • Possui uma variedade de minerais: cálcio, fósforo, magnésio, potássio e ferro.
  • Também das vitaminas A, C, D, E, K, ácido fólico e antioxidantes
  • O nível de sódio é baixo.
  • Eles não contêm colesterol
  • Eles são sem glúten
jm_100_OT_-P15.tiff

Quais são?

Algumas das leguminosas mais conhecidas na região são:

  • Ervilhas
  • Feijão preto
  • Feijões
  • Grão de bico
  • Favas
  • Lentilhas
  • Milho
  • Amendoim
  • Soja

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O registro bíblico mostra que Daniel os comeu para não ficar contaminado. E hoje seus múltiplos benefícios foram comprovados: fonte de proteínas, fibras, carboidratos, vitaminas, entre outros. Eles podem ter valores mais altos de proteína do que a carne, embora sejam extremamente baratos e saudáveis.

- Advertisment -

más leídas

Você tem um templo e a questão é como você cuida dele

Cada vez mais escolhidos Mais e mais pessoas estão optando por reduzir o consumo de alimentos de origem...

Dura competência entre Trump vs. Biden pelo voto dos eleitores católicos

No jornal The Washington Post, Matt Wiser descreve a situação: "A luta para conquistar eleitores católicos indecisos nas eleições...
Y conocerán la verdad, y la verdad los hará libres.