terça-feira 20 outubro, 2020
Home Saudável Uma fórmula psicológica para tomar boas decisões
SAÚDE MENTAL

Uma fórmula psicológica para tomar boas decisões

A vida é um processo constante de tomada de decisões. Com menos ou mais facilidade e soltura você tem que tomá-los todos os dias, o dia todo. O psicólogo Victor Vroom desenvolveu uma teoria no século passado que permite que esses processos ocorram com mais segurança e confiança.

Uma fórmula psicológica para tomar boas decisões.

Não é apenas o resultado que leva alguém em direção a um objetivo. No meio, há vários outros fatores que o psicólogo e professor Victor Vroom publicou em um livro em 1964. O canadense é um especialista em liderança e comportamento organizacional.

Tecnicamente, sua teoria está inserida na psicologia social ou organizacional, uma vez que o autor a pensou primeiro nos ambientes de trabalho. No entanto, pode ser útil pensar sobre outros aspectos da vida cotidiana.

Fórmula

Vroom estabeleceu uma fórmula que resulta em um índice de motivação. Desta forma, conceitos abstratos tornam-se variáveis ​​concretas.

Força motivacional = Expectativa x Instrumentalidade x Valência.

Os três componentes explicam os processos internos que fazem uma pessoa agir ou parar de agir de determinada maneira.

Expectativa

É o que se espera ao investir uma determinada quantidade de esforço. Aqui intervém o conceito que a pessoa tem de si mesma e a dificuldade do objetivo que deseja alcançar.

Instrumentalidade

Essa noção tem a ver com a função que se cumpre no cenário total e com o desempenho que finalmente se tem. É a dimensão em que o indivíduo avalia as probabilidades de acordo com suas próprias habilidades.

Valencia

É a escala de valores ou prioridades onde o sujeito posiciona a tarefa ou objetivo. Por exemplo, se a decisão a ser tomada está relacionada a uma oportunidade de trabalho, mas o conforto é mais importante do que o desafio, então a valência do novo trabalho terá mais peso naquele lado da balança.

Doutor e Professor Victor Vroom.

A lógica do abstrato

A sequência de Vroom é intuitiva, ou seja, quanto maior a motivação, maior o esforço, da mesma forma, o nível de motivação será o resultado do valor dado à tarefa.

A seqüência de elementos é circular, pois todos condicionam a todos. Além disso, parte do pressuposto de que o comportamento é o resultado de escolhas racionais e conscientes entre mais de uma alternativa, a fim de maximizar a satisfação e minimizar o sofrimento.

Em suma, um indivíduo fica motivado se acredita que:

  • Existe uma correlação positiva entre desempenho e esforço.
  • Um desempenho excelente resultará em uma recompensa excepcional.
  • O desempenho atende a uma necessidade importante.
  • O desejo de satisfazer essa necessidade vale a pena.

A diferença entre uma pessoa e um computador

A teoria da expectativa de Vroom é útil para esclarecer sua disposição de assumir riscos e para definir suas expectativas sobre algo. Mas por uma razão a fórmula pode falhar, e isso porque as pessoas não são computadores.

As variáveis ​​inseridas dariam um resultado inequívoco e pontual se o que está no centro do jogo fosse uma máquina. Mas a vida é um pouco mais complexa, apresenta acidentes, problemas inesperados e surpresas.

Além disso, a fórmula só é válida se apoiar no sentimento de controle de si mesmo sobre o ambiente, se a pessoa acreditar que o resultado está além de sua influência, a expectativa e a motivação diminuem.

É por esses motivos que a fórmula é aplicada às empresas e às estratégias de aumento de produtividade.

Como uma teoria é uma elaboração de ideias que explicam fatos pré-existentes, ela também pode servir para prever o comportamento futuro. Concluindo, algumas questões inspiradas na teoria de Vroom para tomar boas decisões são:

  • Quanto esforço estou disposto a colocar na tarefa x?
  • Que outras variáveis ​​existem relacionadas ao objetivo buscado e qual a escala de valores de cada uma?
  • Qual é o risco que estou disposto a correr para atingir a meta?
  • Que riscos não estou disposto a correr?
  • Por que o dever de casa não me motiva?
  • Que dimensão (Expectativa, Instrumentalidade ou Valência) não me permite encontrar motivação?

Desbloquear paralisia

Ligado aos aspectos que Vroom investigou, também pode haver um fenômeno que se torna importante no processo de tomada de decisão. É um estado de paralisia, no qual a pessoa "prefere" ficar confortável em vez de dar o passo em direção à mudança.

Comumente chamada de auto-sabotagem, consiste em pensamentos e atos irracionais que surgem imediatamente antes de uma decisão e dificultam a resolução de objetivos.

Em grande medida, a causa é a pouca motivação, mas ao tecer melhor observamos falta de autoestima, autocontrole, medo do fracasso, medo de não cumprir as imposições dos outros, entre outros.

Embora esses indicadores sejam sintomas normais antes de tomarem um impulso na vida, eles se transformam em problemas se acabarem paralisando permanentemente a pessoa.

Existem muitas maneiras de se auto-sabotar, como iniciar projetos e não concluí-los, adiar todas as atividades que precisam ser cuidadas, esperar uma perfeição improvável ou apresentar desculpas externalizantes, como falta de tempo ou dinheiro.

Por esse motivo, ao tomar consciência dos próprios medos e crenças, tanto racionais quanto irracionais, é mais provável a assertividade. Alguns métodos para se libertar desse fenômeno paralisante e tomar boas decisões são:

  • Investigue os pensamentos íntimos que levam ao medo do fracasso e do sucesso.
  • Preste atenção às mensagens que você envia a si mesmo antes de dar um passo importante.
  • Estabeleça uma ordem de prioridades de objetivos e desejos.
  • Confie e consulte outras pessoas que passaram por uma situação semelhante.
  • Faça uma lista de desejos e diferencie-os do que os outros impuseram a você.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A vida é um processo constante de tomada de decisões. Com menos ou mais facilidade e soltura você tem que tomá-los todos os dias, o dia todo. O psicólogo Victor Vroom desenvolveu uma teoria no século passado que permite que esses processos ocorram com mais segurança e confiança.

- Advertisment -

más leídas

Obrigado por isso, por aquilo e por tudo

É notável a quantidade de menções que existem sobre a importância da gratidão e, no entanto, é uma atitude incomum na maioria...

De Daniel ao Apocalipse, semelhantes, mas complementários

Existem quatro livros na Bíblia que são considerados especialmente apocalípticos; Eles são Daniel, Ezequiel, Zacarias e Apocalipse. Então, vamos...
Y conocerán la verdad, y la verdad los hará libres.