segunda-feira 26 outubro, 2020
Home Saudável Como recuperar sua própria atenção
PSICOLOGIA NA QUARENTENA

Como recuperar sua própria atenção

Devido à pandemia, as pessoas tiveram que se adaptar mais do que nunca para adquirir habilidades multitasking. Essa transformação não foi inócua, mas ocorreu à custa do poder da concentração. Para recuperá-lo, você pode começar sabendo como funciona e aplicando algumas estratégias.

Recuperar a atenção de alguém se tornou um desafio na era da hiperconectividade e tornou-se ainda mais premente em quarentena.

Como resultado do isolamento, no mesmo espaço físico e sem limite de tempo, as pessoas estão atualmente trabalhando como teletrabalhadoras, as crianças frequentam aulas e realizam atividades de lazer geralmente ligadas ao consumo audiovisual.

Como resultado, surge um novo assunto que muda para uma capacidade multitasking mais sofisticada, mas à custa de seu bem-estar.

Como recuperar sua própria atenção

A atenção, em seu equilíbrio adequado entre concentração e flexibilidade, é o que dá eficácia ao estudar e trabalhar, aprimora a memória e acelera a precisão da tomada de decisão.

Mas não é um desafio menor no contexto atual, no qual múltiplas responsabilidades devem ser enfrentadas ao mesmo tempo, através de vários dispositivos e plataformas.

No entanto, o cérebro ativa um dos diferentes tipos de atenção de acordo com as necessidades, com maior ou menor facilidade.

Apesar do fato de existirem várias categorizações do termo, dependendo da dimensão da análise, elas geralmente diferem em:

  • Seletivo

Existem muitos estímulos concorrentes, mas a pessoa se concentra nas informações pontuais enquanto o restante é inibido. Pode ocorrer em relação ao espaço, tempo ou objetos. Por exemplo, dirigir um carro evita tudo o que não é relevante para a tomada de decisões de direção.

  • Dividido

Envolve o processamento simultâneo de duas ou mais demandas, como assistir a uma série, comer e atender mensagens no telefone ao mesmo tempo.

  • Alternar

Exige mudança de foco alternando atividades que requerem diferentes esforços cognitivos para serem realizados. Um cenário frequente em que essa capacidade é posta em jogo é ao cozinhar, pois, enquanto mexe algo no fogo, alguns alimentos também são cortados ou a mesa é preparada.

  • Constante 

Quando é necessário manter um nível eficaz de resposta sobre o mesmo problema por um longo período de tempo, como estudar.

Em quarentena, surge um novo assunto que sofre mutação em vista de uma capacidade multitasking mais aprimorada.

A oferta entre o interno e o externo

Assim como em momentos específicos, tenta-se perceber o que vem de fora, se for necessária uma abordagem interna, essas informações podem se tornar perturbadoras. Esse contraste é visualizado pela comparação das necessidades entre uma aula e um tempo de leitura.

Acontece que o extrínseco e o intrínseco exercem uma pressão constante para atrair a atenção. Nesta dinâmica, vários fatores intervêm que condicionam o resultado. Alguns dos que emergem da intimidade do sujeito são:

  • O que representa um assunto de interesse pessoal guiará a atenção .
  • A tendência define a direção do que causa emoções intensas.
  • O estado de espírito é decisivo porque, em circunstâncias favoráveis, a concentração será alcançada com mais eficiência e, diante de angústias ou estresse, o esforço deve ser aumentado.
  • O que requer menos energia será mais fácil de alcançar.
  • É mais atraente o que está alinhado com o curso de pensamento que está sendo seguido no momento.
  • A maioria dos fatores está subordinada ao estado físico, que é o que permite ou desativa certos processos e, por esse motivo, as sensações mais básicas, como fome, frio ou sono, serão priorizadas sobre todo o resto.
A oferta entre extrínseca e intrínseca pode se tornar limitante em tempos de estresse.

Imerso no mercado da atenção 

Do mesmo modo que esses indicadores internos agem, cada vez que as informações recebidas continuamente desde os cinco sentidos são multiplicadas e geram distração.

Não é novidade, há alguns anos, uma investigação patrocinada pela Microsoft observou que a capacidade de concentração diminuiu de 12 para 8 segundos em 15 anos.

Nesse cenário, diante da superabundância de inovação e do esgotamento de recursos criativos e originais, a publicidade se concentra em capturar interesse, criando um mercado focado na atenção do consumidor.

Diante de um mundo com esses índices de demanda, é vantajoso conhecer os estímulos externos que aumentam a suscetibilidade. Portanto, algumas de suas características são:

  • O que incorpora movimento é mais atraente
  • Quanto mais cores, mais fácil é desviar o olhar
  • O que é mais intenso e extenso é mais impressionante
  • A novidade ganha sobre o familiar, se é algo nunca visto antes ou que simplesmente contrasta com a tarefa em questão
  • Se apelar emocionalmente, causa mais atração.

Estratégias para exercitar a concentração

Embora o tédio seja um momento indispensável para os seres humanos e uma resposta do cérebro ao trabalho tedioso, ao longo dos anos tornou-se um slogan árduo evitá-lo por longos períodos de tempo.

Sem dúvida, as redes sociais tiveram muito o que fazer e, em resposta, foi criada a categoria “jejum digital”, que propõe desconectar para fazer uso consciente e ponderado da tecnologia, conforme definido pela ONG Faro Digital.

Como distrações constantes são um estressor, quanto mais você as evita, mais seu cérebro é treinado. Algumas estratégias práticas são:

  • Durma as 8 horas necessárias.
  • Exercício diário ou pratique um hobby em que você alcance facilmente se compenetrar. 
  • Estabeleça horários para verificar o telefone celular durante os períodos de estudo ou trabalho.
  • Use ferramentas analógicas, como relógios e alarmes, em vez de confiar em telefones celulares.
  • Deixe o telefone fora do quarto para não dormir e acorde com a tela.
  • Dedique um dia por semana para concluir o jejum digital.
  • Planeje passar um tempo na natureza.
  • Passar tempo com pessoas que têm o mesmo objetivo.
  • E finalmente, a meditação em todas as suas variações é uma das táticas mais recomendadas para exercer permanência em uma ocupação.

A autora Sally Welch, do livro Consciente e atencioso, expressa particularmente que a atenção plena “nos impele a observar o ambiente em que nos encontramos, abordando-o com interesse, direcionando nossa atenção para as atividades diárias de uma maneira que melhore nossa conscientização sobre nossos sentimentos. ambiente e nos fornece uma perspectiva que dá proporção e equilíbrio às nossas experiências ”.

Uma boa ação para compartilhar momentos fora das redes sociais.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Devido à pandemia, as pessoas tiveram que se adaptar mais do que nunca para adquirir habilidades multitasking. Essa transformação não foi inócua, mas ocorreu à custa do poder da concentração. Para recuperá-lo, você pode começar sabendo como funciona e aplicando algumas estratégias.

- Advertisment -

más leídas

Dura competência entre Trump vs. Biden pelo voto dos eleitores católicos

No jornal The Washington Post, Matt Wiser descreve a situação: "A luta para conquistar eleitores católicos indecisos nas eleições...

Você tem um templo e a questão é como você cuida dele

Cada vez mais escolhidos Mais e mais pessoas estão optando por reduzir o consumo de alimentos de origem...
Y conocerán la verdad, y la verdad los hará libres.