sexta-feira 30 outubro, 2020
Home Entrevistas O especialista em seitas anunciou: "Eu me apaixonei, esta é minha última...
LUIS SANTAMARÍA DEL RÍO

O especialista em seitas anunciou: "Eu me apaixonei, esta é minha última missa"

Foi a última missa celebrada por Luis Santamaría del Río, que organizou o site da Diocese e foi em muitos casos o chefe de imprensa da diocese de Zamora: ele anunciou que deixa o hábito para se casar porque se apaixonou. Muito honesto da sua parte, e também obriga você a atualizar o debate sobre uma instituição não-bíblica, mas saiu de um concílio: o celibato. Jovem, extrovertido e muito apreciado, Luis Santamaría é conhecido como especialista em seitas.

Muelas del Pan é um município espanhol na província de Zamora, na comunidade autónoma de Castilla y León. Localizado na região de Tierra del Pan, o nome da cidade se refere à ligação histórica entre a região e o moinho.

Muelas del Pan é documentado pela primeira vez em 1168. Durante séculos foi muito popular por sua cerâmica e cerâmica negra.

Na localidade está a histórica Igreja de Santiago.

Luis Santamaría del Río tem 37 anos, é graduado em Teologia pela Pontifícia Universidade de Salamanca em 2007. Desde a sua ordenação sacerdotal, ele desempenhou tarefas pastorais como pastor em várias paróquias da diocese de Zamora. Ele foi o delegado diocesano das mídias sociais na diocese de Zamora.

Em 2005, ele se tornou um dos fundadores da Rede Ibero-Americana para o Estudo das Seitas (RIES), servindo como secretário desde então. Ele também é o diretor do Centro de Documentação de Bibliotecas "José María Baamonde", que tem o RIES em Zamora, dedicado ao fenômeno sectário e à nova religiosidade.

Além disso, ele é membro da Sociedade Espanhola de Ciências Religiosas (SECR), da Academia Americana de Religião (AAR) e da Associação de Jovens Pesquisadores em Ciências Religiosas (AJICR), além de correspondente para a Espanha e a América Latina da Associação Internacional de Estudos Culturais (ICSA).

É professor do Curso "Especialista em Comunicação Social" da Pontifícia Universidade de Salamanca e do tema "Seitas" no curso anual do Centro Ecumênico "Missionários da Unidade" em Madrid.

E ele é um conselheiro para questões de seitas da Conferência Episcopal Espanhola (CEE).

Santamaría del Río é autora de, entre outros textos, "O que vês à noite? Religião e seitas no mundo de hoje" e "Entre seitas e o fim do mundo. Uma noite que murmura esperanças" (ambas de Vita Brevis, Maxstadt)

Luis Santamaría del Río sempre foi muito ativo no estudo de seitas.

Celibato

Seria conveniente que o estado celibatário fosse uma opção voluntária, mas o problema acontece quando é forçado, como no caso dos escravos.

As opções celibatárias eram conhecidas na Índia através do hinduísmo com a ascensão dos ascetas e Anacoretas, e aqueles que deixaram o mundo material para buscar a explicação transcendental da existência através da contemplação.

De fato, Siddharta, nome civil de Buda, deixou Iashodhara, com quem se casou aos 16 anos, e eram pais de um filho, Rahula, e aderiram ao celibato.

Tanto o judaísmo quanto o islamismo resgatam a procriação como um mandato e uma bênção.

Povoar a terra é um mandato divino no Jardim do Éden, repetido após a história do Dilúvio e renovado na aliança de Deus com Abraão.

É muito estranho que uma religião que proíbe o aborto, ao mesmo tempo, exige que seus padres sejam celibatários.

Nas comunidades cristãs dos primeiros séculos, a soltería nunca apareceu como uma obrigação para a condição do sacerdote.

Na verdade, o tema invade o Primeiro Concílio de Latrão, realizado na Basílica de São João de Latrão, em Roma (Itália), em 1123.

Ele foi convocado pelo papa Calixto II (Guido de Burgundy), que teve que resolver alguns problemas domésticos na Igreja, e também neutralizar o trabalho do antipapa Gregorio VIII (Mauricio Burdino).

Mas, além disso, o Cânon 3 e também 11 foram redigidos, o que proíbe que padres, diáconos, diáconos e monges se casem ou tenham concubinas; as mulheres também são proibidas de ter em suas casas, exceto aquelas aprovadas pelos velhos cânones. Casamentos clericais são declarados nulos e sem efeito e aqueles que os contrataram estão sujeitos a penalidades.

E a questão foi novamente abordada no II Concílio de Latrão, em 1139, também realizado na Basílica de San Juan de Latrán, convocada pelo papa Inocêncio II (Gregorio Papareschi) para ratificar a condenação do antipapa Anacleto II (Pietro Pierleoni).

Aliás, nesse Conselho são tomadas algumas decisões que hoje não são mais cumpridas ou modificadas, com exceção do celibato:

  • Que os bispos e eclesiásticos não se escandalizassem com as cores, a forma ou a extravagância de seus ornamentos, para que se vestissem modestamente. (Canon 4).
  • A excomunhão aos leigos que não pagaram dízimos aos bispos, ou não cederam a estes as igrejas cujas posses foram retidas, já porque foram recebidas pelo homem Bispos, ou obtidos de príncipes ou outros (Canon 10).
  • A condenação da usura.
  • A proibição de monges se dedicarem ao estudo de assuntos profanos como o Direito ou a Medicina.
  • A proibição de aceitar benefícios das mãos de um leigo (Canon 25).

Mas a condenação e perseguição dos casamentos e concubinações de sacerdotes, diáconos, subdiáconos, monges e freiras (cânones 6, 7 e 11) permanece em vigor.

Em 2019, o celibato está privando milhares de sacerdotes de sua vocação para evangelizar, missão, assistência espiritual aos outros. Claramente, o celibato é diretamente responsável por situações criminais, bem como insustentáveis ​​e até imperdoáveis. Muitos exigem que a Igreja Católica Apostólica Romana acabe com essa instituição que não é bíblica. Mas tudo indica que o processo de mudança não será com o papa Francisco também.

A falta de vocações e a necessidade de sacerdotes colocam o Vaticano em uma situação complicada. Há pastores que devem comparecer simultaneamente a mais de 12 paróquias ou a uma média de 1.400 leigos sob sua responsabilidade direta, uma situação difícil de resolver com eficiência.

Luis Santamaría del Río.

A despedida

A igreja paroquial de Santiago Apóstol, em Muelas del Pan, faz parte do patrimônio que a cidade celebra nas margens do reservatório do rio Esla.

Domingo 21/07/2019 foi um dia de sol e calor, com festas patronais muito próximas. Nesse contexto ocorreu um evento inesperado: Luis Santamaría del Río deixou o altar e iniciou a Santa Missa, mas quando chegou a hora da pregação, ele disse: "Eu me apaixonei, esta é minha última missa, deixo hábitos e me casarei em setembro".

A surpresa não diz nada sobre o que aconteceu com os paroquianos.

O assunto rolou pela Espanha e além.

O bispo de Zamora, Gregorio Martínez Sacristán, levantou a questão com uma recente transferência de vários padres da diocese: Luis Santamaría del Río foi destituído de Muelas del Pan, mas não teve novo destino. Agora tudo é mais compreensível.

Uma das últimas investigações das quais Santamaría del Río participou sobre seitas se referiu à Organização Nacional El Yunque, de origem mexicana e extrema direita, cujo propósito "é defender a religião católica e lutar contra as forças de Satanás", e estabelecer "o reino de Deus na terra através da infiltração de todos os seus membros nas mais altas esferas do poder político."

Sua origem é a chamada Frente Universitária Anticomunista (FUA), criada em 1955 em Puebla, México. Durante anos, a natureza reservada da organização fez com que alguns aspectos e sua capacidade de influência e propósitos fossem desconhecidos ou não corroborados.

"El Yunque na Espanha. A sociedade secreta que divide os católicos", é o livro escrito pelo historiador e jornalista Santiago Mata, que argumentou que há membros do El Yunque dentro do Partido Popular e VOX. O prólogo foi escrito por Luis Santamaría del Río.

O fragmento final desse texto é muito revelador sobre o pensamento do agora ex-padre:

"(…) O evangelista João, em seu magnífico capítulo VI, nos conta que o Senhor Jesus, após alimentar uma multidão de milhares de pessoas com cinco pães de cevada e dois peixes, recebeu o reconhecimento do povo como o Profeta que esperavam. No entanto, "sabendo que iam levá-lo a proclamar-lhe rei, retirou-se novamente para o monte sozinho" (Jo 6, 15). Mais tarde, diante de Pilatos, dirá sem rodeios: "Eu sou rei" (Jo 18, 37) "Contradição? Nenhum. Seu Reino não é deste mundo. Seu reinado não será como queremos e procuramos, mas como Ele quer. A que distância estão os seus caminhos dos nossos … e quão longe estão as mentiras, o sigilo, de ambição, juramentos e manipulação".

LUIS SANTAMARÍA DEL RÍO

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Foi a última missa celebrada por Luis Santamaría del Río, que organizou o site da Diocese e foi em muitos casos o chefe de imprensa da diocese de Zamora: ele anunciou que deixa o hábito para se casar porque se apaixonou. Muito honesto da sua parte, e também obriga você a atualizar o debate sobre uma instituição não-bíblica, mas saiu de um concílio: o celibato. Jovem, extrovertido e muito apreciado, Luis Santamaría é conhecido como especialista em seitas.

- Advertisment -

más leídas

Você tem um templo e a questão é como você cuida dele

Cada vez mais escolhidos Mais e mais pessoas estão optando por reduzir o consumo de alimentos de origem...

Dura competência entre Trump vs. Biden pelo voto dos eleitores católicos

No jornal The Washington Post, Matt Wiser descreve a situação: "A luta para conquistar eleitores católicos indecisos nas eleições...
Y conocerán la verdad, y la verdad los hará libres.