sexta-feira 23 outubro, 2020
Home Saudável Cinco axiomas para se comunicar melhor nas festas
BÍBLIA E CIÊNCIA

Cinco axiomas para se comunicar melhor nas festas

Na família de Natal e Ano Novo, amigos e conhecidos se reúnem em torno de uma mesa. Para lidar com as diferenças e não deixá-las ofuscar a celebração, a chave está na arte da comunicação interpessoal, como ensinado pelo psicólogo Watzlawick há décadas.

Existem cinco axiomas de comunicação para não ofuscar as partes devido às diferenças entre as pessoas.

Na véspera de Natal e uma semana depois de replicar o costume com a celebração do Ano Novo, muitas pessoas voltam para sentar à mesma mesa com familiares e conhecidos que não viam desde o feriado de 2018.

Discussões, ideologias políticas, ao contrário, discordâncias e as traições ocorreram durante a última rodada do sol ou mais, mesmo que o aumento continuasse.

A parte de orgulho de um lado e do outro é a promessa de uma memória não tão favorável do que acontece durante jantares festivos. Para que esse absurdo não ocorra, lembrar os axiomas da comunicação de Paul Watzlawick não é outro.

Comunicação verbal e não verbal

As pessoas se comunicam através de um conjunto de regras do conhecimento vulgar, acessível a todos pelo simples ato de participar socialmente. No entanto, o que é mais visível é geralmente o mais complexo de se tornar visível, uma vez que esses regulamentos funcionam, mesmo que não houvesse contrato para torná-los viáveis.

Essas regras são feitas através da semântica, sintática e pragmática, como dimensões interdependentes da linguagem. No entanto, é a pragmática que apresenta um nível não-verbal, ou seja, a linguagem corporal.

"Todo comportamento, e não apenas a fala, é comunicação e toda comunicação, incluindo os sinais comunicacionais de contextos impessoais, afeta o comportamento."

Paul Watzlawick

A primeira regra a ser observada é que o corpo se comunica mais que palavras. O psicólogo Albert Mehrabian estabeleceu a famosa regra 7-38-55, que estabelece 7% dados pelas palavras, 38% por voz (entonação, projeção, ressonância, tom) e 55% por gestos, posturas, movimentos de olhos, respiração e outras características corporais.

O psicólogo Albert Mehrabian estabeleceu a famosa regra de 7-38-55.

Os axiomas de Watzlawick

Um axioma é uma verdade indiscutível, é uma "proposição tão óbvia que se considera que não requer demonstração". O psicólogo Paul Watzlawick é um dos referentes do surgimento da terapia familiar e da terapia sistêmica e estabelece cinco declarações incontestáveis ​​de comunicação:

1. Não é possível não se comunicar
Não há momento em branco em termos de comportamento, ou seja, não é possível não se comportar. Consequentemente, como a comunicação é mais do que verbal, também é impossível não se comunicar. Watzlawick exemplifica o caso com um homem em sua cadeira de avião com os olhos fechados: sua posição corporal simples comunica que ele não deseja interagir.

2. A comunicação tem dois níveis: relacionamento e conteúdo
São as informações definidas pelas meta informações ou, em outras palavras, são os dados a serem transmitidos e as instruções de cálculo.

O autor compara ambas as dimensões com dois aspectos do circuito de comunicação tradicional. Por um lado, o aspecto referencial é o conteúdo e, por outro, o aspecto conativo caracteriza que tipo de mensagem é.

O tom, o sotaque da voz, a expressão facial, o contexto, as palavras escolhidas, o ritmo das afirmações, em contraste com a relação que define os dois falantes, podem causar ambiguidades.

"A capacidade de se comunicar adequadamente não é apenas uma condição sine qua non da comunicação efetiva, mas também está intimamente ligada ao complexo problema referente à percepção do eu e do outro."

Watzlawick

3. A pontuação
A tecnologia inteligente responde a um estímulo, mas a comunicação humana é mais complexa porque a interação entre os alto-falantes não é ininterrupta nem constante, mas existe um sistema de pontuação que organiza o diálogo.

Essas diretrizes são convenções culturais e, ao mesmo tempo, são definidas pelo relacionamento entre os participantes da interação (a pontuação não é a mesma na conversa de um casal que entre um homem com seu sogro, por exemplo).

"A falta de acordo sobre como classificar a sequência de eventos é a causa de inúmeros conflitos nos relacionamentos".

Watzlawick

4. Os seres humanos se comunicam digital e analogicamente
O análogo inclui “a postura, os gestos, a expressão facial, a inflexão da voz, a sequência, o ritmo e a cadência das próprias palavras, e qualquer outra manifestação não-verbal de que o organismo seja capaz, bem como os indicadores comunicações que inevitavelmente aparecem em qualquer contexto.” E digital são as palavras que se referem arbitrariamente às coisas.

Como nos computadores, o analógico é uma aproximação de valor e o digital é perfeito e preciso.

5. As trocas comunicacionais são simétricas ou complementares
Seguindo o exemplo da tecnologia, apesar de sua qualidade "inteligente", as pessoas sempre falam condicionadas pelo tipo de vínculo entre elas. Essa interação pode ser simétrica se for caracterizada pela igualdade ou pela diferença mínima, ou pode ser complementar se for baseada na diferença máxima.

Todo o restante dos elementos comunicacionais deve estar em harmonia com essas regras vinculativas, pois, por exemplo, no jantar de Natal, não é apropriado que o casal recente de menores da família se sente na ponta da mesa ou que dar ordens ao resto dos presentes.

Apesar de sua qualidade "inteligente", as pessoas sempre
falam condicionadas pelo tipo de vínculo entre elas.

A Bíblia é um manual de comunicação

Deus criou o ser humano com o dom da linguagem, diferente dos animais. Em sua versatilidade e riqueza, a importância de harmonizar o comportamento de alguém com as leis da natureza também pode ser apreciada.

Mais uma vez, recorda-se que os maiores benefícios são obtidos pelo quanto maior alinhamento entre as formas de vida e os princípios incorporados na Bíblia, o qual aconselha uma comunicação saudável e eficaz em todas as suas páginas.

Em Provérbios 15: 1, diz que “a resposta branda tira a raiva; mas a palavra grosseira aumenta a raiva.” Mais tarde, no versículo 23, ele afirma que “o homem se alegra com a resposta da sua boca; e a palavra com o tempo, como é bom!

O Novo Testamento também sugere "seja rápido em ouvir, lento em falar e lento em irar-se" (Tiago 1:19) e em relação aos pequenos: "não provoque seus filhos com raiva, mas crie-os em disciplina e advertência do Senhor" (Efésios 6: 4).

Sem dúvida, a capacidade de interagir com a sabedoria é um desejo divino e, para alcançá-lo, temos um manual na Bíblia, também a ciência que ensina os métodos mais precisos.

Prestar atenção à comunicação corporal, à pontuação para saber quando ouvir ou falar e adaptar o conteúdo da mensagem com o tipo de relacionamento vinculado ao outro, são algumas das diretrizes principais para não transformar uma celebração em uma memória ruim.

Por Elizabeth Maier

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Na família de Natal e Ano Novo, amigos e conhecidos se reúnem em torno de uma mesa. Para lidar com as diferenças e não deixá-las ofuscar a celebração, a chave está na arte da comunicação interpessoal, como ensinado pelo psicólogo Watzlawick há décadas.

- Advertisment -

más leídas

Obrigado por isso, por aquilo e por tudo

É notável a quantidade de menções que existem sobre a importância da gratidão e, no entanto, é uma atitude incomum na maioria...

De Daniel ao Apocalipse, semelhantes, mas complementários

Existem quatro livros na Bíblia que são considerados especialmente apocalípticos; Eles são Daniel, Ezequiel, Zacarias e Apocalipse. Então, vamos...
Y conocerán la verdad, y la verdad los hará libres.